O dia da “nossa” Independência

Por causa do Coisas de Orlando, sempre recebo perguntas sobre a nossa mudança e principalmente pedindo para que conte como foi. Hoje, 04 de julho, é o dia em que tudo aconteceu…

Há exatamente 2 anos atrás, acordamos sabendo que mudaríamos tudo em nossas vidas, que a nossa decisão nos ensinaria a “andar” de novo, teríamos que aprender a falar e desvendar tudo aquilo que nem sequer imaginávamos. O sonho de morar fora do país, viver uma nova cultura e o medo de não olhar para trás e ver que a vida tinha passado e que não havíamos saído do lugar falou mais alto e muito forte.

Durante o dia, não foi nada além de ter coragem de colocar o resto das coisas nas malas, separar os documentos e pegar nossa passagem só de ida (não havíamos planejado a volta). Sinceramente, lembro apenas disso e minha cabeça já me transporta para o aeroporto e a despedida.

Toda nossa família e amigos foram para lá e enquanto aguardávamos, por mais que a ansiedade era grande, estávamos ali, mas quando deu nosso horário e tivemos que caminhar para o portão de embarque, a sensação de medo, alegria, curiosidade e todas as outras que se misturaram, nos fizeram dar o primeiro passo e caminhar em direção dos nossos sonhos. Neste momento, lembro apenas de ter dado aquele último abraço em todo mundo, pegar o Pietro no colo e simplesmente não olhar para trás, pois eu tinha certeza que isso dificultaria bastante as coisas. Eu queria guardar uma imagem feliz e não das pessoas chorando pela nossa despedida…

Embarcamos, chegamos e aqui estamos. Não viemos conquistar a América e muito menos com a ideia de viver o sonho americano, mas Deus tinha bençãos maravilhosas para a gente e mesmo nas dificuldades (sim, elas existem e não são poucas), nós estamos conseguindo trilhar nosso caminho.

A gente conversa muito sobre a mudança, acho que para quem toma essa decisão, esse é um assunto constante. No fim, sempre surge a frase “se a gente pensasse mais um pouco talvez não teríamos feito”, mas fizemos e temos várias histórias para contar.

Se eu olhar para trás, tenho certeza de que o sentimento de que valeu a pena vai ser muito maior do que o de arrependimento…

Aos poucos vou contando aqui mais coisas sobre nossa mudança.

Termino esse primeiro post com as últimas linhas do Hino Nacional Americano.

E este é nosso lema, “Em Deus está nossa confiança”
E a bandeira coberta de estrelas em triunfo moverá
Sobre a terra dos livres e o lar dos bravos